Celebrando Mães

As oportunidades e apoio quando chegam às mães se estendem para a vida daqueles que estão ao seu redor – incluindo filhos, família e comunidade. Neste Dia das Mães, gostaríamos de compartilhar com você algumas iniciativas inspiradoras que trabalham direta ou indiretamente com mães e o impacto que esses apoios estão gerando.

Saúde Criança Responder

Rio de Janeiro, RJ

Oferece apoio e serviços de saúde, educação, capacitação profissional, moradia e engajamento cívico para ajudar a melhorar a vida de famílias que têm filhos com doenças crônicas no Rio de Janeiro. A instituição acredita que o acesso à informação e a oportunidades é a porta de entrada para a transformação, por isso oferece às mães aulas que podem prepará-las para gerar renda como artesãs, cozinheiras e vendedoras, e apoio para promover sua independência.

“Observamos que uma das maiores transformações​​ ​acontece ao se sentirem parte de um grupo, mais fortalecidas”, Cida Paranhos, Coordenadora Geral do Saúde Criança Responder

Arlette chegou ao Brasil em 2011 como refugiada do Congo e veio ao Saúde Criança depois que um de seus filhos adoeceu. Ela e sua família enfrentaram grandes barreiras linguísticas e instabilidade financeira durante esse período, até começar a frequentar as reuniões e os cursos de treinamento profissional. Ela começou a acreditar em si mesma e na possibilidade de um futuro melhor, e começou a trabalhar informalmente. Agora, ganhando uma renda maior, pode fazer muito mais por sua família. Seus filhos estão todos na escola e o marido sonha em voltar a estudar.

Anis – Instituto de Bioética

Brasília, DF

A Anis possibilita acesso à informação e estimula o empoderamento comunitário de mães e mulheres cuidadoras de crianças afetadas pela epidemia de zika em regiões vulneráveis do país. Oferece assessoria jurídica e orienta sobre direitos, cidadania, saúde sexual e reprodutiva e deficiência para que elas possam cuidar dos filhos com mais conhecimento e garantir seus direitos. Anis trabalha junto com profissionais de saúde e assistência social, defensores públicos, gestores e legisladores municipais para viabilizar e garantir acesso de mães e mulheres a direitos e às políticas públicas federais e locais.

Com o fim da emergência em saúde pública por zika e microcefalia, a preocupação aumentou. “Ainda há muito a ser feito, mulheres e crianças afetadas pelo zika foram esquecidas do debate público.” Luciana Brito, Psicóloga e pesquisadora da Anis

Abraço a Microcefalia

Salvador, BA

Abraço a Microcefalia também trabalha com crianças e famílias afetadas pelo vírus Zika no Brasil, atuando para a inclusão e fortalecendo uma rede de apoio. A organização oferece terapia ocupacional individualizada, fisioterapia, orientação nutricional e possibilita que tenham acesso a métodos inovadores de tratamento que possam surgir.

Como eles apoiam as mães?

O apoio não para nas crianças – também se estende às mães, que geralmente são mães solo e enfrentam grandes desafios para cuidar dos filhos. Além de fornecer informações importantes sobre o cuidado de seus filhos, a Abraço realiza reuniões quinzenais para as mães, onde elas podem relaxar, dialogar e construir vínculos que também ajudam a superar os obstáculos do dia a dia.

“A melhora do bem estar da mãe atua diretamente no desenvolvimento dessa criança pois acreditamos que o afeto é o canal para o desenvolvimento humano.” – Joana, equipe Abraço a Microcefalia

Mãe&Mais

Rio de Janeiro, RJ

Mães&Mais oferece serviços e educação em saúde para mulheres mães e crianças na primeira infância. Atuando no Rio de Janeiro, dissemina informações seguras, promove saúde e bem estar integral e contribui para o pleno desenvolvimento da primeira infância. O trabalho já chegou a 630 mães e 408 crianças que foram beneficiadas com serviços de ginecologia, obstetrícia, pediatria, fisioterapia, psicologia e nutrição. Para o futuro, Mães e Mais quer criar a primeira clínica multidisciplinar e popular para mulheres mães e crianças de 0 a 6 anos em um território estratégico. Ampliar o alcance e ganhar escala para impactar 10.000 mulheres mães e crianças e, consequentemente, suas famílias.

Os efeitos desse trabalho vão além do atendimento

“Me chamo Gisele, tenho 38 anos e 3 filhos de 14, 6 e 1 ano de idade. O acolhimento da Mãe&Mais apareceu para mim num momento muito difícil. Eu estava desempregada, grávida pela terceira vez aos 36 anos e achando que seria o fim da linha. Encontrar esse tipo de serviço me fez descobrir a maternidade como potência e perceber que posso ter cada vez mais dignidade e poder de escolha. Hoje me sinto mãe e muito mais!”

Pontes de Amor

Uberlândia, MG

Pontes de Amor apoia famílias e crianças em processo de adoção ou em estado de acolhimento. O trabalho nasceu em resposta às altas taxas de devolução de crianças por famílias adotivas e às crises familiares que surgem no pós-adoção por falta de apoio e acompanhamento psicológico e psicopedagógico. Ajudam a promover relacionamentos saudáveis dentro da unidade familiar e possibilitam que as famílias estejam mais informadas sobre o processo adotivo.

Como o trabalho envolve mães?

Os programas trabalham com a família como um todo, incluindo mães biológicas e adotivas. Oferecem assessoria jurídica para famílias e crianças e também serviços como terapia e intervenções para apoiá-los e prepará-los emocionalmente. Em cinco anos, Pontes de Amor reduziu a taxa de devolução pós-adoção das crianças acompanhadas para zero, ao mesmo tempo em que houve um aumento no número de adoções.

ONG Amigos da Vida

Brasília, D.F.

Amigos da Vida atua para promover e defender os direitos de pessoas vivendo com HIV/AIDS e no cuidado a crianças órfãs da AIDS. Do trabalho, nasceram 10 brinquedotecas, que receberam o nome Renato Russo, que atendem crianças de 7 a 12 anos, portadoras ou não do HIV/AIDS e outras doenças incapacitantes, em tratamento em hospitais públicos do Distrito Federal. Promover a diminuição do tempo de internação, o aumento da expectativa de vida dessas crianças e favorecer o suporte emocional focado na integração entre mãe e filho são resultados esperados do suporte oferecido com pedagogos, psicólogos, brinquedistas e assistentes sociais. Para o futuro, pretendem ampliar esse modelo de sucesso para todos os hospitais referência no tratamento pediátrico de crianças afetadas pela AIDS ajudando a melhorar e aumentar a expectativa de vida.

Mães, filhos e famílias são beneficiados com apoio e acompanhamento integral

A família da Dona Iracema, mãe do Davi, passou a ser assistida pela Amigos da Vida após a alta médica dele no Hospital Universitário de Brasília. Davi tem 7 anos e contraiu o HIV durante o parto. Eles moram em Planaltina, cidade satélite que fica a 30 quilômetros de Brasília. A família passou a ser mantida com doação de cestas básicas e a mobilização de apoiadores ajudou a montar uma borracharia para o pai do Davi, seu José, que estava desempregado e lutava contra o alcoolismo.


“Com esse trabalho realizado por nossos voluntários conseguimos mudar a realidade dessa família que vivia uma situação de muita dificuldade sem ter condições até de se alimentar de forma digna.” – Christiano Ramos, Fundador, Amigos da Vida