Construindo pontes: o doador Paulo Ribeiro foi conhecer o trabalho da Arquitetura na Periferia

A rede de organizações apoiadas pela BrazilFoundation é formada por centenas de iniciativas que realizam trabalhos extraordinários em todo o Brasil. Acreditamos que conectar os doadores a causas que os inspiram pode gerar novas oportunidades e possibilidades. Paulo Ribeiro, membro da comunidade de Nova York da BrazilFoundation, conheceu a Arquitetura na Periferia por meio do amigo e também parceiro da BrazilFoundation, Mauricio Morato. O projeto, desenvolvido em parceria com os Arquitetos Sem Fronteiras, capacita mulheres para realizar pequenas reformas e melhorias em sua habitação em Belo Horizonte. Impressionado com a iniciativa, Paulo decidiu fazer uma doação pela campanha {Abrace o Brasil}. Mas o apoio não parou por aí; semanas depois, ele foi até BH para ver de perto o trabalho, e nos contou como foi essa experiência.

1. Como você conheceu a Arquitetura na Periferia?
“Mauricio me falou sobre elas. Ele pensou que seria uma iniciativa que meu marido Walter (que mudou recentemente de carreira e se tornou um arquiteto) e eu (sendo de Belo Horizonte) gostaríamos de apoiar. E ele estava certo. Eu li a história pelo site da BrazilFoundation e fiquei completamente impressionado com as ideias da Carina [fundadora da Arquitetura na Periferia].”

2. Por que você escolheu apoiar esse projeto?
“Tanto para mim, como para meu marido, foram razões muito pessoais, mas, mais importante ainda, acreditamos no poder de educar as comunidades e capacitar as mulheres, em particular, para melhorar suas vidas. E no poder da arquitetura e do espaço para promover educação, novas habilidades (como gerenciamento de projetos e habilidades de negociação) e, ainda melhor, saúde.”

3. O que mais te impressionou na visita?
“Conhecer as mulheres e ver o orgulho e a felicidade nos seus olhos enquanto caminhávamos por suas casas e elas nos mostravam o trabalho que faziam. A confiança que ganharam para poder melhorar a vida de suas famílias. Como elas também têm poderes para desenhar e ler desenhos arquitetônicos e negociar com homens, que as ajudaram em certas partes do projeto. O impacto positivo do trabalho excepcional e a dedicação da Arquitetura na Periferia vão além de um novo banheiro, azulejos na cozinha, consertar vazamentos e construir melhores acomodações para seus filhos. Dá autonomia e se estende às comunidades locais (por exemplo, as mulheres criaram um centro de atendimento para as crianças).”

4. Qual a importância de se apoiar iniciativas como esta no Brasil?
“Enorme. Em um país como o Brasil, com todos os seus problemas econômicos e sociais, sua doação pode chegar longe. As necessidades são, muitas vezes, incrivelmente e assustadoramente básicas, na perspectiva de pessoas, como nós, que vivemos em grandes centros urbanos nos EUA. Mais importante, capacitar mulheres e minorias sociais é uma causa que precisa de apoio e recursos em todo o mundo.”

Organizações como a Arquitetura na Periferia podem continuar trabalhando para alcançar sua missão por meio de apoiadores como o Paulo. Quer encontrar um projeto para apoiar? Entre em nosso site e navegue pelo mapa interativo para saber mais sobre o trabalho das centenas de organizações que transformam comunidades em todo o Brasil. Entre em contato conosco pelo e-mail newyork@brazilfoundation.org