A filantropia pode ajudar na cura do câncer

 
Quanto mais cedo o câncer infantojuvenil for diagnosticado, maiores as chances de cura. É com essa perspectiva que o Instituto Desiderata atua no Rio de Janeiro há 15 anos, promovendo o diagnóstico precoce e o acesso ao tratamento. Com o apoio de doações, o Instituto conseguiu criar o Unidos pela Cura, política de promoção de diagnóstico precoce que já capacitou 3.632 profissionais da saúde; transformar 4 centros de quimioterapia, 2 salas de internação e 1 tomógrafo em ambientes lúdicos e acolhedores; publicar estudos e pesquisas; e fazer advocacy para a causa. Confira a entrevista com Roberta Marques, diretora do Desiderata.

O que é o Unidos Pela Cura? Como funciona?

O câncer é a maior causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de 5 a 19 anos no país. Mas, com diagnóstico precoce e acesso rápido ao tratamento, 80% dos casos podem ser curados. Para isso, em 2005 criamos, em parceria com o setor público, o Unidos pela Cura, que atua para garantir que crianças com suspeita de câncer cheguem logo aos centros de diagnóstico e de tratamento da rede pública. Funciona assim: um fluxo de encaminhamento foi pactuado entre a atenção primária e os hospitais para que iniciem a investigação em até 72 horas. Para que os profissionais dos postos de saúde e clínicas da família possam identificar os sintomas do câncer, que são muito similares aos de outras doenças, como dor de cabeça, febre, vômito, promovemos capacitações de profissionais de saúde.

Quais são seus principais resultados?

Já capacitamos mais de 3.000 profissionais de saúde no estado do Rio de Janeiro. Antes do fluxo organizado do Unidos pela Cura, o tempo médio entre a suspeita e o diagnóstico era de 60 dias – muito alto para uma criança com câncer. Agora, 60% das crianças que chegam aos postos de saúde e clínicas da família são encaminhadas em até sete dias para investigação. Em 9 anos o Unidos pela Cura já encaminhou 1.311 crianças. Cerca de 10% desses pacientes têm o diagnóstico de câncer e outras 45% têm outras doenças que precisam de tratamento especializado.

Qual a importância do advocacy na área da saúde?

A saúde é um direito fundamental e é assegurado por lei no Brasil. No entanto, os recursos públicos são escassos e é necessário fazer advocacy para priorizar as demandas de populações específicas, como a saúde de crianças e adolescentes com câncer. Advocacy, para nós, significa um conjunto de ações que podem sensibilizar e fazer com que o poder legislativo, executivo ou judiciário, formulem, aprovem ou executem políticas públicas de interesse da população. Nossa experiência é o advocacy no executivo, onde articulamos com os gestores federais, estaduais e municipais para implementar ações conjuntas que melhorem os serviços públicos de saúde disponíveis para as crianças e adolescentes com câncer.

O Instituto Desiderata está completando 15 anos. Quais são os planos para o futuro?

O Desiderata tem uma longa e bem-sucedida caminhada de atuação com oncologia pediátrica, onde temos pautado as melhorias necessárias à rede de tratamento e mobilizamos o Unidos pela Cura em torno do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil. Agora, vamos ampliar a capacitação em todo o Estado do Rio de Janeiro (92 municípios) e sistematizar essa metodologia para que possa inspirar outros estados do Brasil. Um passo importante também é a ampliação do foco de atuação do instituto, que passará a atuar para a saúde da criança e adolescente como um todo. E, nesse momento, estamos estudando outros temas relevantes onde possamos fazer a diferença.

Se recursos não forem problema, qual o maior sonho do Instituto?

Nosso sonho é que as crianças e adolescentes brasileiros possam estar entre as mais saudáveis do mundo. E para isso, é preciso que elas sejam prioridade dos governos. Saúde é um direito fundamental para o pleno desenvolvimento do ser humano e, quando falamos de crianças e adolescentes, estamos falando de uma parcela vulnerável da população hoje e que vai moldar o futuro que queremos. Se não agirmos hoje, que sociedade teremos?

Quer apoiar o Instituto Desiderata? Faça uma doação por meio do Programa de Doação Recomendada da BrazilFoundation em: https://brazilfoundation.org/project/instituto-desiderata/?lang=pt-br.