Jovens trocam experiências sobre tecnologias sociais para transformar comunidades

 

Do Rio de Janeiro a Campo Grande, um intercâmbio de conhecimento sobre preparação para universidade e mídias sociais

Em todo o Brasil, há pessoas trabalhando e oferecendo ferramentas para que os jovens possam criar um futuro melhor para suas comunidades. Em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, o Instituto Luther King promove o acesso à educação, oferecendo cursos de preparação para o vestibular. No Rio de Janeiro, o Voz das Comunidades oferece espaços de discussões para que moradores do Complexo do Alemão possam identificar problemas locais e discutir soluções democráticas para eles. As duas organizações participaram recentemente de uma troca de experiências. Os líderes do Voz das Comunidades visitaram a sede do Luther King, em Campo Grande, e os membros de Luther King posteriormente viajaram para o Rio.

Durante o intercâmbio, o Voz das Comunidades compartilhou suas estratégias para sensibilização da comunidade por meio de debates e do jornalismo comunitário. O Luther King compartilhou com estudantes do Complexo do Alemão algumas estratégias que utiliza para promoção do acesso ao ensino superior e preparação para os exames como o ENEM.

A troca foi parte de um acordo de colaboração entre as organizações para enriquecer o trabalho em suas respectivas comunidades. As viagens foram inspiradoras e educacionais para todos os envolvidos:

Roberta Meireles (Voz das Comunidades): “Se eu posso definir o intercâmbio com uma palavra, defino com gratidão. Foi uma experiência única, eu diria, renovadora. O Instituto Luther King faz um trabalho lindo de empoderamento dos alunos de uma forma muito acolhedora. Poder contar a história do Voz das Comunidades, das ações sociais e, no final, os alunos nos procurarem para dizer que querem começar um jornal, que querem iniciar um projeto social no local onde moram, querem mudar a realidade onde vivem, não tem preço. Saímos de lá com várias missões como ajudar dois alunos a criarem um jornal dentro do Instituto, ajudar o aluno Wilson a desenvolver o projeto de biblioteca comunitária na periferia onde ele mora e ajudar o próprio Instituto Luther King com as mídias sociais. Tudo isso é tão enriquecedor, poder plantar sementinhas de solidariedade, de vontade de fazer, plantar a corrente no bem na nova geração que é o futuro do país.”

Glaucia Laranjeiras (ILK):“Nós fomos presenteados com uma equipe que fez a diferença por onde passaram. Foram muitas atividades, muitos lugares e eles toparam tudo sem frescura, querendo realmente dividir conhecimento. Mais de 400 jovens ouviram a história do Renê Silva, fundador do Voz das Comunidades, e tenho certeza que muita coisa nova vai surgir. Até um aluno que leu o livro dele em uma noite e no outro dia se emocionou ao falar que quer criar um jornal comunitário no seu bairro também.”

A organização vizinha IPEDI, localizada em Aquidauana, no Mato Grosso do Sul, também teve a oportunidade de acompanhar a visita dos integrantes do Voz das Comunidades ao seu estado.

Denise Silva (IPEDI): “Nós tivemos a honra de receber pessoas muito especiais para um bate papo sobre mídias sociais. Momentos como esses nos encorajam a seguir em frente e a continuar lutando. Que seja o primeiro de muitos outros.”