Mulheres encurtando distâncias para construir um Brasil Melhor

Em Porto Alegre, o Mulher em Construção oferece cursos gratuitos em diversas áreas da construção civil. Já treinou 4 mil mulheres para o mercado de trabalho como pedreiras, pintoras, azulejistas, ceramistas, eletricistas e prestadoras de reparos hidráulicos.

Na capital mineira, Belo Horizonte, o projeto Arquitetura na Periferia ensina mulheres de baixa renda a avaliar problemas e encontrar soluções para suas próprias casas. Elas aprendem desde a planejar e abrir novos cômodos até colocar piso e criar estrutura hidráulica.

São quase 1.800 quilômetros separando duas iniciativas que têm muito em comum: capacitar mulheres para construir e reparar casas. Mas no mês de outubro, o programa de Arranjos Colaborativos da BrazilFoundation conseguiu encurtar a distância e financiou o encontro dos grupos em Porto Alegre. Foram dois dias de atividades em conjunto.

“Foi uma troca de experiências muito rica”, diz Carina Guedes, idealizadora do Arquitetura na Periferia. “Conhecer pessoas engajadas nos mesmos assuntos que nós, que passam pelas mesmas dificuldades, é fortalecedor e nos dá mais vontade ainda de seguir em frente”. A instituição mineira, fundada em 2013, conta que aprendeu sobre o funcionamento de uma organização social, aproveitando a experiência de 11 anos no Mulher em Construção no setor. “Em troca, acredito que levamos a nossa metodologia de ensinar a pensar o espaço a ser construído coletivamente, algo que as gaúchas vão tentar implantar no Sul”, conta Carina.

“Foi emocionante dividir nosso aprendizado com mulheres que possuem a mesma sintonia que nos permeia” – diz Bia Kern, fundadora do Mulher em Construção. “O programa de Arranjos Colaborativos foi fundamental para esta troca que nos trouxe mais conhecimento”.

As duas iniciativas estão participando da campanha #abraceobrail da BrazilFoundation. Acesse o site abraceobrasil.org.