O CPCD está liderando a revitalização da Vila do Sapo, em São Paulo

O Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento (CPCD) atua no bairro Chácara Santo Amaro, formado por vilas e pequenas propriedades agrícolas, onde moram cerca de 2.800 pessoas e há apenas uma escola estadual até o Ensino Médio. O trabalho está sendo feito com crianças entre 5 e 9 anos e 25 famílias moradoras da Vila do Sapo, uma das mais precárias do bairro e uma grande transformação está acontecendo lá, chegando ao desejo de mudar o nome para Vila das Flores.

Das 30 casas, 20 fachadas receberam pintura com tinta de terra, numa proposta de revitalização e transformação dos espaços, com participação efetiva dos moradores, que aprendem a tecnologia e ajudam a fazer e aplicar as tintas. Oficinas de permacultura foram realizadas, um mini viveiro iniciado, 15 jardins em pneus confeccionados e um muro preparado para receber sessões de cinema.

“Aos poucos se constrói de forma coletiva e com a participação das crianças, práticas educativas inovadoras, diversas, democráticas e lúdicas. Além disso está começando um processo de transformação do bairro […]. Ao mesmo tempo em que se embeleza as fachadas e muros, se aprende e se troca saberes e fazeres dos moradores.” diz Eliane Luiz de Almeida, do CPCD. 

Como estratégia de aproximação de educadores, crianças e famílias, o Sementinha também está atuando na escola estadual do bairro, desenvolvendo atividades de mediação de leitura, brincadeiras, jogos e confecção e uso de tinta de terra. As atividades com o educadores envolvem jogos pedagógicos, criados junto com outros educadores e crianças, que permitem discutir sobre as dificuldades dos alunos e ver possibilidades de intervenção nas salas de aulas para desenvolver o empenho dos alunos.