Conhecendo de perto organizações de impacto social

Nas últimas semanas nossos analistas estiveram viajando pelo país para visitar as organizações que estão participando do edital para seleção de projetos deste ano. Foram mais de 90 horas de viagem por 10 estados brasileiros. Por todo o país, acumulamos quilômetros de histórias e detalhes que nos ajudam a conhecer o contexto social das comunidades e a entender as soluções propostas pelas organizações sociais.

A visita é parte fundamental do processo de escolha das organizações que vão receber financiamento, pois nos permite conferir de perto a legitimidade de cada uma delas na representação das demandas e das aspirações da população do local em que atuam.

Mas como funcionam as visitas? Falamos com Maria Cecilia Oswaldo Cruz, Diretora de Programas, e Bruno Faria, Coordenador de Monitoramento:

Como funcionam as visitas?

Maria Cecilia: Após a primeira fase do processo, onde é feita a leitura e análise das propostas recebidas, a equipe da BrazilFoundation define as organizações finalistas que receberão a visita técnica, para que se possa conhecer e avaliar de perto o trabalho realizado. Os nossos analistas precisam avaliar aspectos técnicos da intervenção social, gestão institucional, estrutura e capacidade instalada. Na lógica de uma visão voltada para resultados, verificamos as metodologias utilizadas e seu alinhamento ao contexto, demandas e público alvo, além do impacto social alcançado. Escutar as histórias sobre a trajetória da organização e das lideranças que estão à sua frente e depoimentos de beneficiados enriquecem a avaliação e contribuem para a tomada de decisão. É igualmente importante compreender a visão estratégica da organização e os desafios que podem enfrentar no desenvolvimento de seus projetos e cumprimento de sua missão.

Qual a importância dessa parte do processo seletivo?

Maria Cecilia: Nas visitas, a equipe da BrazilFoundation reúne informações essenciais para tomar a decisão sobre que organizações devem ser contempladas com o financiamento. Este ano a BrazilFoundation recebeu 51 propostas em seu edital por carta convite, mas os recursos arrecadados não permitem que todos sejam contemplados. Por isso, é preciso conhecer de perto cada uma das finalistas e avaliar quais delas podem ter o maior potencial de gerar impacto com o valor e os recursos oferecidos.

Quantas visitas a equipe fez em 2019?

Bruno: Em 2019, nosso time viajou mais de 90 horas para chegar a 17 cidades de 10 estados brasileiros. Conhecemos de perto 33 das 51 organizações que inscreveram propostas no edital da BrazilFoundation para receber recursos.

O que se destacou nas visitas deste ano?

Bruno: Chamou a atenção do time da BrazilFoundation o trabalho de jovens que desenvolveram um aplicativo que recebe e encaminha denúncias de crimes ambientais para o poder público com índice 72% de resolução das denúncias pelo app. Nossos analistas também destacam a força de um coletivo de mulheres em Alter do Chão, no Pará, que trabalha no combate à violência contra mulheres indígenas e ao racismo. No Rio de Janeiro, foi interessante ver meninos e meninas de 15 a 17 anos discutindo suas identidades, histórias e potenciais para colaborar com a melhoria de seus bairros.

 

 

Após as visitas a equipe se reúne para discutir, analisar e definir os projetos que serão financiados. O processo para seleção de projetos deste ano já chegou ao fim, e os selecionados para apoio serão divulgados no dia 13 de março.