Um mês após o desastre que matou mais de 880 pessoas na Região Serrana do Rio e depois de enviar mais de 800 toneladas de donativos para o local e arrecadar mais de R$584 mil em dinheiro, o Viva Rio começa a planejar a segunda fase da campanha S.O.S Região Serrana: a fase de reconstrução. É hora de recuperar a normalidade da vida dos moradores da região. Isso não significa que a solidariedade não seja mais necessária, mas sim que o foco da ajuda será modificado: a solidariedade agora é para recomeçar.

As principais atividades da fase emergencial da campanha foram realizadas através das duas bases de atendimento emergencial que o Viva Rio gerencia na Região Serrana – uma em Nova Friburgo e outra em Teresópolis. Lá, são feitas as distribuições de donativos e os atendimentos médicos. Abastecidas com água e energia com o auxílio de geradores e caminhões pipa, as bases contam com o trabalho de profissionais de saúde voluntários, entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos e agentes comunitários de saúde, além de bombeiros e outros voluntários.

Avaliar o cenário atual e adaptar-se às novas necessidades para oferecer o melhor atendimento possível às vítimas das chuvas, fazendo com que suas vidas voltem à rotina normal são as metas desta segunda fase. Assim, o Viva Rio  territorializou suas ações em duas regiões: 2º Distrito de Teresópolis e Distrito de Conselheiro Paulino, em Friburgo.

A ações de longo prazo focam em três principais vetores:

Saúde: Formação de equipes de saúde da família para atuarem localmente no atendimento à população (incluindo atendimento odontológico e psicossocial);

Reassentamento e Reflorestamento: Promoção do diálogo entre o poder público e a comunidade local com vistas ao reassentamento de famílias que vivem em áreas de risco. Em um segundo momento, coordenaremos ações de reflorestamento nas áreas atingidas;

Prevenção e Reação a Desastres: Organização e Capacitação de Brigadas Comunitárias (formadas por pessoas das comunidades) com funções de monitoramento, alerta, evacuação e resgate em caso de desastres naturais – esses agentes (ou brigadistas) também apoiarão o trabalho das equipes de saúde da família. Num segundo momento, promoveremos o treinamento de multiplicadores locais para apoiarem o trabalho preventivo e reativo das Brigadas junto às comunidades.

Equipe do Viva Rio


Voluntários do Viva Rio. Foto de Walter Mesquita