Brincadeiras e arte para resgatar a cultura indígena

No Brasil, a população indígena é composta por 897 mil pessoas de 305 etnias. Os dados do Censo Demográfico do IBGE também apontam a existência de 274 línguas indígenas no país, mas revelam que a cultura e os costumes estão sendo esquecidos: apenas 37,4% dos índios falam a língua original de suas aldeias.

Ao perceber que algumas brincadeiras e palavras da língua Terena estavam caindo em desuso na aldeia Passarinho, em Miranda (MS), a professora Evanilda Rodrigues decidiu desenvolver um projeto de valorização da cultura indígena. “A nossa escola está localizada numa terra indígena muito próxima da cidade e as crianças já não valorizavam mais os saberes indígenas” – conta Evanilda.

A iniciativa batizada de “Cultura e Identidade Terena” envolve crianças de 8 a 12 anos e ensina elementos da arte e da cultura indígena por meio da produção de objetos e adornos utilizados pelos índios, além de danças tradicionais, música e contos. As brincadeira se transformaram em um belo trabalho de resgate da identidade cultural dos Terenas e fizeram tanto sucesso na aldeia que o grupo que começou com 18 crianças hoje tem 35.

“Acredito que o nosso trabalho com as crianças está plantando o conhecimento e a valorização dos nossos antepassados”, diz a professora. “Estamos ajudando a mudar o nosso Brasil com a valorização do ser humano como pessoa independente da sua cor ou raça.”

O projeto da professora Evanilda foi identificado pelo IPEDI – Instituto de Pesquisa da Diversidade Intercultural e é uma das 74 iniciativas selecionadas na primeira edição do Prêmio de Inovação Comunitária da BrazilFoundation.