A 6ª Carreata Poética realizada pelo Centro de Arte e Promoção Social (CAPS) espalhou cultura pelas ruas e pontos culturais da Zona Sul de São Paulo no último domingo, 25 de outubro. Foram 12 horas de poesia do Grajaú até Parelheiros, com a participação 200 pessoas, 20 automóveis, dois ônibus e uma van.

Idealizada pela poeta e educadora Maria Vilani, fundadora do CAPS, a carreata homenageou Carolina Maria de Jesus, uma das maiores escritoras do Brasil. “Essa edição foi uma das mais emocionantes, pelo número de coletivos culturais envolvidos e por conta da homenageada – a escritora, poeta e compositora Carolina Maria de Jesus. Ela era catadora de lixo e alguém que representa a periferia”.

O grupo saiu da sede do CAPS, com paradas no Sarau Clamarte, no Sítio Carolina Maria de Jesus, e seguiu em procissão poética até a praça central de Parelheiros. No caminho, houve declamação de versos, música e intervenções teatrais.

Maria Vilani conta que a ideia da carreata surgiu em 1991, quando faltava tudo no bairro do Grajaú, até mesmo saneamento básico. “Não havia nenhuma movimentação de alegria, na época de campanha política apareciam carros de som e o povo saía de dentro de suas casas para apreciar.” Foi aí que nasceu a ideia de uma movimentação para difundir a arte.

O evento também proporcionou um encontro entre líderes que trabalham para transformar o Brasil e recebem o apoio da BrazilFoundation. Mestre Magrão, da Filhos da Corrente, levou jovens e crianças para uma apresentação de capoeira e maculelê na última parada da carreata.